Black Friday 2018: Atenção aos reais descontos.

Black Friday 2018: Atenção aos reais descontos.

22/11/2018 | Direito do Consumidor | Giuliano Batista Moura

A próxima Black Friday está programada para o próximo dia 23 de novembro, havendo expectativa da movimentação de mais de 2,87 bilhões de reais, valor superior em 16% se comparado a do ano passado, segundo números fornecidos pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).
 
Entretanto, o consumidor, ao buscar aproveitar descontos na Black Friday, deve cercar-se de alguns cuidados para garantir que realmente estará aproveitando um desconto verdadeiro e não um desconto “criado” pelas lojas.
 
Muitas lojas, às vésperas da Black Friday, aumentam o preço do produto nas semanas que antecedem a data do dia de descontos, e quando chegado o dia, diminuem os preços para patamar similar ao que praticavam há semanas atrás. Com isso, anunciam descontos de 30, 50 e até 70%!
 
Se trata de conduta reprovável do lojista que utiliza uma data para simular um desconto que, na verdade, inexiste, levando o consumidor a acreditar que está fazendo uma excelente compra, induzindo o mesmo a erro!
 
Uma alternativa para evitar cair na onda do “pague metade do dobro” é utilizar-se de sites que possuem ferramentas de comparação de histórico de preços durante o período de 12 meses, como, por exemplo, Buscapé, Zoom e JáCotei.
 
Em 2018 foi criada uma nova ferramenta para evitar a “fraude” de preços. A empresa Proxy Media, especializada em soluções digitais, criou o site “Black Friday de Verdade (https://blackfridaydeverdade.com.br), onde as lojas participantes assinaram um termo de compromisso para oferecer reais descontos ao consumidor.
 
Aderiram ao termo de compromisso as lojas virtuais de diversas empesas, tais como ASUS, Avianca, Easynvest, Hope, Magazine Luiza, Petz, Sephora, dentre outras. Para que o consumidor possa verificar, basta acessar o site para conferir a lista completa de participantes.
 
Entretanto, tal ferramenta não substituí a moda antiga, ou seja, o consumidor deve acompanhar o produto que necessita por período razoável de tempo, identificando os aumentos e reduções de preço, o que, certamente, evitará que ele crie eventual ilusão de desconto na época da Black Friday.
 
Vale ressaltar ainda que, tendo o consumidor realizado a compra por meio digital e vindo posteriormente a descobrir que foi vítima da política de falsos descontos ou mesmo se arrependa da compra que fez, poderá, conforme o Código de Defesa do Consumidor, exercer dentro de 07 dias após a realização da compra, o cancelamento da mesma, com a devolução do valor integral que pagou.
 
Tal regra objetiva proteger o consumidor das compras realizadas fora dos estabelecimentos comerciais (lojas virtuais em geral), evitando que compras por impulso possam vir a prejudicá-lo.
 
Por fim, a Black Friday se revela boa oportunidade para quem deseja adquirir produtos, eis que de fato existem descontos, mas é preciso que nós, consumidores, fiquemos atentos aos verdadeiros descontos, identificando e denunciando ao PROCON de sua cidade os falsos descontos, para que essa prática lesiva seja reprimida.


Giuliano Batista Moura
Equipe Consumidor